Sexualidade na velhice

Muitas pessoas querem e precisam ter um relacionamento próximo com os outros à medida que envelhecem. Para algumas pessoas, isso inclui o desejo de continuar uma vida sexual ativa e satisfatória. Com o envelhecimento, isso pode significar adaptar a atividade sexual para se adaptar a mudanças físicas, de saúde e outras.

Há muitas maneiras diferentes de fazer sexo e ter uma sensação de intimidade, sozinho ou com um parceiro. A expressão de sua sexualidade pode incluir muitos tipos de contato íntimo ou estimulação. Alguns adultos podem optar por não participar da atividade sexual, e isso também é normal.

Aqui nós exploramos alguns dos problemas comuns que os adultos mais velhos podem enfrentar com a sexualidade.

Quais são as mudanças normais?

O envelhecimento normal traz mudanças físicas em homens e mulheres. Essas mudanças às vezes afetam a capacidade de ter e gostar de sexo.

Uma mulher pode notar mudanças em sua vagina. À medida que as mulheres envelhecem, a vagina pode encurtar e estreitar.

As paredes vaginais podem ficar mais finas e um pouco mais rígidas. A maioria das mulheres terá menos lubrificação vaginal e pode levar mais tempo para a vagina ser lubrificada naturalmente. Essas mudanças podem fazer certos tipos de atividade sexual, como a penetração vaginal, dolorosa ou menos desejável.

Se a secura vaginal é um problema, usar um lubrificante à base de água ou preservativos lubrificados pode tornar a penetração mais confortável. Se uma mulher estiver usando terapia hormonal para tratar ondas de calor (ondas de calor) ou outros sintomas da menopausa, você pode querer fazer sexo com mais frequência do que antes da terapia hormonal.

À medida que os homens envelhecem, a impotência sexual (também chamada de disfunção erétil ou disfunção erétil) torna-se mais comum.

DE é a perda da capacidade de atingir e manter uma ereção. ED pode fazer um homem demorar mais para conseguir uma ereção. Sua ereção pode não ser tão firme ou tão grande quanto costumava ser. A perda de ereção após o orgasmo pode ocorrer mais rapidamente, ou pode levar mais tempo até que outra ereção seja possível.

ED não é um problema se acontecer de vez em quando, mas se acontecer com frequência, fale com o médico.

Converse com seu parceiro sobre essas mudanças e como você está se sentindo. O médico pode ter sugestões para ajudar a tornar o sexo mais fácil.

Dica para homens

Produto que ajuda de forma natural conhecido como bomba peniana que melhora a circulação sanguínea, isso faz com o que aumente a velocidade da ereção e ajuda com o que ela permaneça por mais tempo.

Eu sou velho demais para me preocupar com sexo seguro?

A idade não protege você de doenças sexualmente transmissíveis. As pessoas mais velhas que são sexualmente ativas podem estar em risco de doenças como sífilis, gonorreia, infecção por clamídia, herpes genital, hepatite B, verrugas genitais e tricomoníase.

A insatisfação sexual do brasileiro

Pesquisa feita pelo Projeto Sexualidade, ligado ao Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, com pessoas de 18 a 50 anos, mostra que os homens brasileiros não estão satisfeitos sexualmente.

A pesquisa teve como objetivo calcular o número de relações sexuais semanais e a quantidade dos que têm disfunção erétil. O ponto em comum de quase todos os entrevistados é o desejo de dobrar o número de relações.

Segundo a pesquisa, há três tipos de disfunção erétil. A maioria dos pesquisados tem a do tipo leve, que é aquela que não impede a penetração, mas atrapalha a intensidade da ereção. Em seguida, vem a disfunção erétil moderada, que ainda não impede a penetração, mas aparece com mais regularidade. E por último surge a total incapacidade de ter ereção.

Outra constatação da pesquisa é sobre o número de relações sexuais por encontro, sendo que a maior parte (63,3%) tem um único ato sexual em 24 horas. Do restante (36,7%), a maioria tem a segunda relação em até uma hora depois da primeira.

Com a terapia de reposição hormonal, administrada sob prescrição e acompanhamento de um especialista em medicina sexual, homens próximos ou já na andropausa, podem aumentar seu índice de testosterona e, consequentemente, sua libido, podendo realizar seu desejo de melhores performances sexuais com suas parceiras.estimulante sexual

Os facilitadores de ereção como Viagra, Levitra e Cialis também desempenham papel importante quanto a aumentar não só o número de relações sexuais como ainda dar mais rigidez ao pênis durante a penetração e igualmente devem ser prescritos e contarem com acompanhamento médico.

Podemos afirmar, com base em experiência clínica de mais de 20 anos, que todos os problemas de disfunção erétil são suscetíveis de solução, variando de soluções simples a outras mais complexas.

Bem fazem os milhões de brasileiros que querem aumentar o número de suas relações sexuais. Por que não? Afinal, sexo é vida.

 

Desejo ou Competição?

A liberação sexual é hoje um fator muito importante na sua vida. Os direitos e conquistas adquiridos pelas gerações anteriores certamente abriram um espaço muito grande para você aprender, discutir e praticar sexo com menos “culpa” e mais segurança.

Porém, aproveitando toda essa liberdade de expressão física e emocional, a televisão e outras mídias ajudaram a criar símbolos sexuais, como Tiazinha, Feiticeira, o bumbum da Carla Perez e outros. Exagerando o culto ao corpo feminino e masculino, a sociedade acabou transformando o sexo em um desejo primário e competitivo, banalizando os sentimentos de amor e desejo.

Hoje se fala cada vez mais em homens e mulheres “perfeitos”, o grande “tchan” é o bumbum de tal cantora ou os músculos de tal ator. Nessa obsessão por mitos e fetiches, o sexo tornou-se, novamente, sinônimo de sacanagem. De repente você pensa: “Vou sair com aquela garota porque ela é a mais gostosa e mostrar pra moçada como eu sou bom”. Ou então: “Vou sair com aquele gostosão e todas as garotas vão morrer de inveja”.  Isso pode estimular sexualmente mulheres e homens.

Claro que é legal manter o corpo em forma e saudável, mas o importante é você não esquecer que o encontro de duas pessoas é algo muito especial, não são apenas “objetos do desejo”, mas também laços de amor e carinho que os unem naquele momento. Sexo é algo muito bom e saudável, sentir o corpo de seu (sua) namorado(a) faz a relação crescer e amadurecer.

Mas se você transar apenas para ser o(a) melhor, ter o maior desempenho e ver quem ganha mais pontos, aí o sexo vai se tornar apenas mais um jogo, no qual vai prevalecer o narcisismo e a competição.

Utilizar condones no significa aburrirse

A saúde sexual é um problema sério que começa a falar em uma idade precoce. É sabido por todos que a idade de iniciação sexual das pessoas é cada vez menor, e isso se traduz em uma necessidade de informação para os jovens, que servirá como prevenção em seu futuro.

O sexo é algo que ninguém levanta renunciar, quer com o seu parceiro ou com os outros, mas o importante é sempre fazê-lo com responsabilidade o uso de preservativos. Embora a maioria das pessoas, ao falar sobre preservativos , pense apenas em gravidez, a verdade é que as doenças sexualmente transmissíveis também são algo que deve ser mantido em mente.

Hoje, para quem tem vergonha ou respeito em comprar camisinhas em farmácias e lojas, elas podem ser compradas pela internet. Podemos comprar preservativos e suplementos para libido como o xtrasize on-line, uma empresa especializada em produtos eróticos que possui uma grande variedade de produtos.

Usar camisinha não precisa ser chato. Podemos encontrá-los em diferentes sabores, cores, retardantes, tamanhos diferentes, seguro extra para pênis grandes que conseguiram com o uso de xtrasize, etc.

Mesmo com o seu parceiro, você pode se beneficiar dos diferentes produtos e resolver ou consertar um problema, já que a conhecida pílula anticoncepcional não pode ser tomada por todas as mulheres e, neste caso, preservativos ou preservativos são a melhor alternativa.

Além disso, o mito de que com os preservativos a relação sexual é menos satisfatória não pode mais ser usado. Atualmente, existem preservativos que praticamente não são notados, e oferecem a mesma proteção de sempre, mas com maior sensibilidade.

Você sabe, você deve ser o primeiro a se proteger e sempre ter esses amiguinhos à disposição para suas relações sexuais. Na carteira, na mesa de cabeceira, na bolsa, etc. Meninos e meninas sempre podem tê-los para que, se chegar a hora, não haja necessidade de ficar com o desejo ou arriscar a saúde.

Finalmente, devemos enfatizar que comprar preservativos através da Internet é tão confiável e seguro quanto fazê-lo em uma farmácia , desde que o façamos em sites reconhecidos e ofereçam garantias mínimas. O xtrasize funciona e é um desses sites que, além de variedade e qualidade, oferecem rapidez em seus serviços. Além disso, eles tendem a ter maior variedade e melhores preços, já que trabalham com marcas diferentes, o que amplia sua gama de produtos.

Cirurgia plástica intima, porque fazer

Nosso papo de hoje é sobre um assunto que incomoda muitas mulheres, porém, poucas têm coragem de falar sobre o tamanho dos lábios vaginais. Algumas já se deram conta desse problema e já fizeram a cirurgia plástica íntima ou rejuvenescimento vaginal.

Por incrível que pareça a cirurgia plástica íntima é bem simples e utiliza sedação e anestesia local dependendo da paciente. E o pós-operatório é tranquilo. Claro que todo procedimento cirúrgico tem riscos e por isso um bom profissional é de suma importância.

Muitas mulheres sentem-se desconfortáveis com o tamanho dos lábios vaginais. Algumas evitam usar roupas que marquem mais a área pélvica ou biquíni. E em casos extremos, não ficam nuas na frente do parceiro. Sem contar que sentem desconforto e dores durante as relações sexuais.Nesses casos a cirurgia plástica íntima é indicado.

A assepsia também fica comprometida em alguns casos. E o surgimento de infecções é grande para as mulheres que possuem os lábios muito grandes.

Com o passar dos anos, a vagina, como todo nosso corpo, acaba ficando flácida, e isso aumenta ainda mais o problema. Com a chegada da menopausa, acentua bastante. Quantos problemas nós mulheres temos que superar para continuarmos lindas e com a autoestima lá em cima!

casal feliz

Praticas que podem ajudar

A prática do Pompoarismo também é muito indicada para evitar a flacidez e vários outros problemas que podem ocorrer com a idade. Mas em caso de hipertrofia vaginal (lábios muito grandes), o seu médico pode indicar a cirurgia plástica íntima, ou ninfoplastia.

E o sexo como fica? Tenho certeza que essa pergunta está na ponta da sua língua. Os especialistas afirmam que a sensibilidade não é comprometida. E segundo as pacientes que fizeram, confirmam que houve um aumento significativo da sensibilidade e melhora do orgasmo após a cirurgia plástica íntima.

Os homens também passam por problemas estéticos do seu órgão, mas ele pode ser contornado facilmente com cremes penianos (https://tratandoimpotencia.pro/como-aumentar-o-pau-creme-macho-man/) e em alguns casos, também cirurgias no pênis.

A intenção desse nosso assunto, além de passar informações de qualidade é encorajar as meninas que passam por esse problema. Simplesmente fingir que não existe o problema e ficar jogando para debaixo do tapete não é a solução.

Por isso resolvi escrever sobre esse tema para quebrar o tabu e trazer o assunto à baila para que possamos trocar opiniões que possam ajudar as meninas que estão pensando em fazer a cirurgia plástica íntima.

O mais importante é sentir-se bem, e claro, perder a vergonha e o medo. E lembra-las que elas não estão sozinhas. Li uma matéria interessante de mulheres que fizeram a cirurgia plástica íntima e mudaram suas vidas. Quem sabe esses depoimentos ajudem naquele famoso empurrãozinho?

Intolerância alimentar: saiba como conviver

Comer é um dos grandes prazeres, além de ser uma necessidade fundamental à vida do ser humano. Apesar disso, muita gente sofre com intolerância a certos tipos de alimento.

Estima-se que a doença atinja mais de 40% da população brasileira. Ela está ligada a anticorpos chamados IgG, que causam uma reação imunológica contra determinadas proteínas presentes na comida.

Claudio Schmidt, médico especialista em genética do laboratório DLE, explica que a doença tem difícil diagnóstico, pois seus fatores e sintomas são múltiplos. “Os principais sinais relacionados à intolerância alimentar são dores abdominais recorrentes, flatulência, diarreia e constipação”, diz.

“Pode ser difícil descobrir quais são exatamente os alimentos  responsáveis pela intolerância, uma vez que os sintomas podem surgir após alguns dias da exposição. Além disso, é muito comum confundir com alergia e intoxicação, uma vez que os sintomas são bem parecidos. A intolerância alimentar pode atingir todas as faixas etárias, ambos os sexos e pode estar relacionada a diversos tipos de alimentos”, complementa o especialista.

Diferenças entre alergia alimentar e intolerância alimentar

Frequentemente confundida com a intolerância, a alergia alimentar tem características particulares. “Segundo a literatura médica, as alergias mais frequentes estão relacionadas ao leite de vaca, ao ovo de galinha, ao amendoim e aos crustáceos (camarão). A frequência pode variar de acordo com fatores culturais que influenciam a dieta. Além disso, é extremamente prevalente a alergia a corantes e outros produtos químicos utilizados em produtos industrializados”, alerta Schmidt.

O médico ressalta ainda que a alergia alimentar normalmente está associada a sintomas mais agudos como aparecimento de placas avermelhadas na pele e sintomas respiratórios, podendo, em formas mais graves, levar ao choque anafilático ou edema de glote, que podem chegar a ser fatais.

Tratamento

De uma forma geral, não há uma cura para a intolerância. Contudo, é importante estar atento aos sintomas e detectá-la para que o doente a minimize ou a elimine.

“As intolerâncias alimentares não têm cura, sendo necessário determinar a quantidade do alimento que o paciente tolera. Há casos em que o doente não deve mais consumir o alimento, enquanto em outros basta uma redução do consumo”, salienta o geneticista.

O diagnóstico da doença é fundamental para evitar os sintomas que causam desconforto. O médico enfatiza que os exames devem ser orientados conforme cada caso e podem ser feitos os testes para dosagem dos anticorpos específicos.

Como o pompoarismo pode ajudar na saúde

Pompoarismo não é apenas para dar mais prazer sexual tanto para a mulher quanto para o homem. Se você acredita somente nisso, precisa parar tudo o que está fazendo e ler esse artigo especial que fiz para te contar todos os benefícios do Pompoarismo para a sua saúde.

Bom, antes de qualquer coisa, vamos esquecer definitivamente qualquer tabu ou vergonha e vamos falar de coisa séria que é a nossa saúde física, mental e emocional que é tratada através da prática do Pompoarismo.

pompoarismo para tratar saude

O Pompoarismo é uma prática milenar que foi desenvolvida pelos orientais para promover mais prazer no ato sexual e na saúde. Ele consiste basicamente em exercitar a musculatura vaginal e com isso aumentar e prolongar o orgasmo.

Tratamentos para a saúde

Mas quem pensa que o Pompoarismo se restringe somente a isso, não faz ideia de quantos problemas de saúde podem ser evitados com que essa “musculação” vaginal! Então vamos conhecer alguns deles agora:

  • Incontinência urinária
  • Flacidez vaginal
  • Queda de útero

Se a mulher pratica o Pompoarismo desde jovem, a probabilidade de ela ter algum desses males é extremamente pequena.

Os benefícios alcançados com a prática constante do Pompoarismo são muitos e você verá que atravessa todas as fases importantes da vida da mulher desde a adolescência até depois da menopausa. Veja abaixo cada um deles:

  • Alívio das cólicas menstruais
  • Aumento do tônus muscular vaginal
  • Ato sexual sem dor
  • Orgasmos mais intensos
  • Maior flexibilidade no parto normal
  • Após o parto a vagina retorna ao seu estado natural mais facilmente
  • Os efeitos da menopausa são atenuados

Os homens praticantes do Pompoarismo também têm seus benefícios garantidos. Isso mesmo que você leu. Pompoarismo também é praticado por homens e com resultados incríveis. Vamos a eles então:

Agora que já falamos dos benefícios para a saúde da mulher e do homem, que tal falarmos do prazer proporcionado pela prática do Pompoarismo pelo casal?

Imagine aprender a praticar o Pompoarismo e os dois se beneficiarem com uma relação sexual mais intensa, prazerosa e de qualidade? Lembrando que não há idade para começar a praticar o Pompoarismo e também não existe qualquer efeito colateral.

Então meninas e meninos, não percam mais tempo e faça essa proposta para o seu parceiro. Tenho certeza que ele vai adorar sua iniciativa em dar aquela apimentada no relacionamento.

Comida caseira pode ser menos saudável que parece

Estudo afirma que receitas de chefs são menos nutritivas do que pratos congelados. Será que a refeição preparada em sua cozinha segue a toada? Tire a prova e aprenda como escapar dos deslizes

Recentemente, uma pesquisa curiosa chamou a atenção ao redor do globo: cientistas da Universidade de Newcastle, na Inglaterra, concluíram que as comidas de quatro chefs famosos nesse país são menos saudáveis do que refeições industrializadas. Para fazer a comparação, eles escolheram aleatoriamente 100 receitas de profissionais com pelo menos um best-seller de sua autoria – Jamie Oliver, Nigella Lawson, Hugh Fearnley-Whittingstall e Lorraine Pascale – e 100 pratos prontos de três grandes cadeias de supermercados inglesas.

“Na verdade, descobrimos que nenhuma das opções atinge as recomendações da Organização Mundial da Saúde”, conta Simon Howard, especialista em saúde pública e um dos autores da análise. “Contudo, as refeições congeladas chegaram mais perto dessas diretrizes do que as receitas dos chefs”, completa. É que as primeiras apresentaram menos gordura saturada, calorias e açúcar, além de mais fibras. Só perderam no quesito sal – faz sentido, já que o cloreto de sódio, nome oficial do ingrediente, é um poderoso conservante de alimentos. Deve- se frisar, porém, que outros aditivos não foram mensurados, o que poderia alterar o placar tão positivo para os industrializados.

Para muitos especialistas na área, o resultado não foi exatamente uma surpresa. “Boa parcela dos cozinheiros não está preocupada com o equilíbrio de nutrientes, mas, sim, com o sabor de suas criações”, reflete Andréa Esquivel, nutricionista e especialista em gastronomia da clínica Cedig, em São Paulo. O primeiro passo para evitar enganos seria incluir as informações nutricionais de cada receita nos livros. “Dessa maneira, as pessoas saberiam como manter a dieta equilibrada e os chefs seriam estimulados a incluir opções mais saudáveis em suas criações”, calcula Howard.

comida saudavel

E você com isso?

Apesar de conduzido em território inglês, esse trabalho serve para ilustrar uma realidade traiçoeira em qualquer parte do mundo: nem sempre um prato preparado na cozinha de casa, com alimentos fresquinhos, é sinônimo de saúde. “O brasileiro coloca doses generosas de sal e óleo na comida e também recorre à fritura com muita frequência. São práticas culinárias que prejudicam a qualidade nutricional da dieta”, resume a nutricionista Ana Clara Martins, professora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás).

As falhas costumam começar, de fato, na escolha dos ingredientes e, claro, nas quantidades em que eles são colocados nos pratos. “Quando um paciente me diz que usa só um pouquinho de creme de leite, sempre questiono o que isso significa. Afinal, a medida caseira é algo bastante subjetivo”, destaca a nutricionista e professora de gastronomia Maria Cecília Corsi, da Essencial Light, em São Paulo.

Despejar gordura na panela sem pudor, outro comportamento que faz os nutricionistas torcerem o nariz, é questão séria por aqui. “Levantamentos apontam que uma família de cinco pessoas consome cerca de 4 litros de óleo por mês. É muito!”, declara Andréa Esquivel. “O ideal é que esse valor seja de até 1,5 litro”, esclarece. Tarefa nada impossível. É só prestar mais atenção na forma de preparo das receitas. “Com a técnica correta, dá para utilizar porções modestas desse item”, confirma Ana Clara, da PUC Goiás.

Que fique claro: não estamos defendendo procedimentos mirabolantes, daqueles que exigem horas na cozinha. Para início de conversa, basta abrir mão da fritura com mais regularidade. O bife à milanesa, por exemplo, pode perfeitamente ser assado. “Depois de passá-lo no ovo e na farinha, que pode ser uma mistura de torrada integral e farelo de trigo, volte-o ao ovo. Então, coloque o bife em uma fôrma untada com azeite e leve ao forno. Ele ficará douradinho e saboroso”, ensina Maria Cecília.

Estratégias simples assim são capazes de fazer a diferença no valor nutritivo do seu prato, a ponto de nem ser justo compará-lo a refeições industrializadas. Essas, só para você saber, não estão totalmente proibidas. Se precisar levar as delícias da modernidade para a cozinha de vez em quando, tudo bem. Só fuja das opções lotadas de sódio, gordura saturada e carboidratos. Isso deve ser regra sempre – inclusive para a comida caseira.

Clássico sabotado

Veja as armadilhas que afetam a qualidade nutricional do prato que é unanimidade entre os brasileiros e saiba quais substituições e métodos garantem mais saúde

Arroz

Para deixá-lo soltinho, muita gente exagera no óleo. Um erro, já que torna a refeição gordurosa. Experimente dourar o alho na panela, colocar água e, daí, acrescentar o arroz. Cozinhe-o em fogo baixo, com a panela semi-tampada. Caso queira, o fio de azeite entra depois

Feijão

Você recorre ao bacon ou à linguiça para que ele fique mais gostoso? Evite a prática. Esses ingredientes acrescentam gordura saturada, sódio e colesterol à dieta. Se sentir falta de um toque extra, apele para o cogumelo shiitake. Coloque-o no feijão dez minutos antes de servir

Salada

Normalmente tem apenas um ou dois tipos de vegetais, ou seja, é pobre em fibras. O certo mesmo seria reunir pelo menos seis ingredientes – abra espaço para cenoura, rúcula, pepino e afins. O tempero pode ser à base de limão, suco de frutas e ervas em vez dos molhos industrializados.

Carne

Geralmente, é preparada com muito óleo. Nem precisa. O correto é botar o bife em um frigideira quente e selar cada lado por dois minutos, sem mexer. Assim, a água da carne não vai embora, deixando-a macia e nutritiva. Se desejar, lance mão só de um fiozinho de óleo.

Sal

Se possível, misture-o a ervas de sua preferência. Assim, reduzem-se as pitadas do cloreto de sódio puro, notório financiador da hipertensão. Para evitar abusos, prove a comida antes de temperá-la

Macarronada

Tradicionalmente, o queijo parmesão ralado finaliza o prato. Mas ele é abarrotado de sódio e gordura saturada. Misture-o a tipos mais magros, a exemplo da ricota.

Ovo frito

Prepare-o em panelas antiaderentes, que não demandam o uso da gordura. É só deixar o alimento na frigideira até a clara ficar branca e espessa. Daí vire-o com uma colher ou espátula de silicone para o cozimento completo.

Estrogonofe

Para o molho, invista na versão light do creme de leite ou utilize iogurte natural desnatado – nesse caso, coloque-o por último, sem levar ao fogo. Dispense o catchup e fique com a polpa de tomate. No lugar do cogumelo em conserva, fonte de sal, opte pelo champignon fresco.

Refogar legumes

Não há necessidade de abdicar do óleo, mas não vá inundar a panela. Utilize apenas um pouquinho. A título de curiosidade, a recomendação é de 1 colher de sopa de óleo vegetal por dia, por pessoa. E só.

Frango

Um erro comum visto por aí é prepará-lo com a pele. Só que essa parte do alimento concentra muita gordura e colesterol. Portanto, retire-a antes de mandar o frango para o fogão.

Bife à milanesa

Tire a gordura aparente da carne. Use apenas a clara do ovo para empanar. Nesse processo, também dá para empregar farinha de aveia para aumentar a quantidade de fibras. Em vez de fritar, asse: coloque o bife em uma assadeira levemente untada. Borrife um pouco de azeite por cima. No início do cozimento, cubra com papel-alumínio para não ressecar. Quando a carne estiver pronta, retire o papel para ela corar e ficar crocante.

Caldo de frango

Os industrializados são dispensáveis, porque muitas marcas têm sódio demais. Considere, então, usar marcas light ou, melhor, fazer um caldo caseiro, resultado do cozimento de ossos, aparas de carnes, vegetais, ervas aromáticas e especiarias em água por duas horas. Pode ser congelado.

Quefir: basta um copo por dia

De nome estranho, o quefir, punhado de bactérias e leveduras benfeitoras reforça o batalhão de defesa no intestino, apaga inflamações e combate problemas de pele.

Nas nossas primeiras semanas de vida, o intestino é habitado por cerca de 500 espécies de micro-organismos que ajudam na digestão e lutam contra agentes que causam doenças. Com o envelhecimento, o estresse e a alimentação incorreta, esse exército é desfalcado e se reduz a 30 divisões, por assim dizer. Para recuperar as várias tropas de choque, no entanto, há quem aposte em uma solução: ingerir bactérias e leveduras benéficas do quefir.

Trata-se de um punhado de grãos formados por mais de 50 espécies de bichinhos pró-saúde. Eles são colocados no leite, no qual fermentam. Logo em seguida, são coados — e podem ser usados de novo porque, dizem, os micróbios se renovam sem perder suas propriedades. “Mas a bebida retém parte dos micro-organismos, que, ao serem ingeridos, repõem a flora intestinal e agem como laxantes naturais”, diz a farmacêutica Márcia Barreto Feijó, da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro. Segundo alguns estudos, as mesmas bactérias produziriam uma espécie de açúcar capaz de estimular o sistema imunológico a fabricar substâncias para combater inflamações.

“Puro, o leite fermentado com quefir se assemelha ao iogurte natural quanto a sabor, aroma e consistência”, garante Raquel Teresinha Czamanski, pesquisadora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, em Bento Gonçalves, no interior do estado. E, à base dele, podem ser feitos queijos, vitaminas e sobremesas. Mas, segundo Márcia Feijó, não basta adicionar o quefir a qualquer leite para seus micróbios se proliferarem pra valer. De acordo com um trabalho conduzido por ela, o tipo desnatado é a melhor opção. “O número de bactérias láticas aumenta quando há um menor nível de gordura”, diz. Sem falar que essa alternativa é menos calórica, já que as variantes integrais e de soja possuem mais que o dobro de proteínas e lipídeos.

quefir

Como foi descoberto o Quefir

Os grãos de quefir foram descobertos na região do Cáucaso, localizada entre o Mar Negro e o Mar Cáspio, nos limites entre a Europa e a Ásia, há 4 mil anos. Suas bactérias sempre se proliferam e os grãos encontrados hoje são descendentes diretos dos originários. Não se sabe ao certo as condições climáticas que propiciaram a união de tantos micro-organismos do bem e por isso é difícil reproduzi-los em laboratório. Fora esse obstáculo, há outro motivo para o quefir ainda não ter chegado às prateleiras dos supermercados. As bactérias transferidas para o leite fermentam continuamente, produzindo gases. Imagine esse processo em um recipiente fechado por meses a fio: a embalagem se destruiria com tamanha pressão.

No entanto, uma descoberta de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITP) cria esperanças de que, em breve, sua industrialização se torne realidade. “Isolamos oito microorganismos do quefir e conseguimos a estabilidade de pressão nos produtos finais”, afirma Djalma Marques, coordenador do Laboratório Nacional de Probióticos do ITP. Ou seja, haverá uma menor produção de gases.

Segundo o pesquisador, o isolamento de um número de bactérias reduzido não diminui tanto as propriedades do leite, mas garante que as embalagens não se rompam. Por enquanto, os produtos feitos no ITP só podem ser comprados no próprio laboratório. É também no ITP que os poderes do quefir para a pele vêm sendo avaliados. O mecanismo não está esclarecido, mas os pesquisadores perceberam que os micro-organismos potencializam o efeito de produtos naturais contra queimaduras e dermatites.

A maneira mais simples de conseguir os grãos, ainda hoje, é por doação. Foi assim que a catarinense Sueli Quadros, de 44 anos, conheceu o quefir. “Minha bisavó migrou da Alemanha para Santa Catarina quando eu tinha 10 anos e trouxe uma porção, que dividiu com os netos”, lembra a secretária, que hoje mora em Curitiba. Para quem não conhece doadores, é possível encontrá-los pela internet. O fundamental é buscar fontes confiáveis. O site http://tinyurl. com/quefir, por exemplo, reúne doadores de todas as regiões do país.

Lichia para chapar a barriga

Além de levíssima, a lichia é uma ótima aliada no emagrecimento graças a uma substância que regula as células de gordura. Guarde o nome dela: cianidina

Se o critério para fazer parte da sua dieta, ainda mais no verão, é não pesar na balança, saiba que essa fruta de origem chinesa é uma das menos calóricas, ainda mais se comparada com outras delícias que aportam nos supermercados nesta época de festas de final de ano.

“A licha tem apenas 6 calorias, o que representa, mais ou menos, 0,3% do que um adulto pode comer ao longo de um dia”, estima a nutricionista Raquel, do Hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro. Ou seja, se devorar dez unidades suculentas, só irá gerar energia o suficiente para tostar em uma atividade bem simples, como fazer a cama ou arrumar a mala para um final de semana na praia. Algo assim.

lichia para barriga chapada

Estudos sobre a lichia

Mas a leveza do fruto não é o único argumento a seu favor na discussão de estratégias antiobesidade. Veja que curioso: um estudo da Universidade de Hokkaido, no Japão, analisou a perda de gordura abdominal em voluntários que receberam extrato de lichia. “Ao fi nal de dez semanas, eles derreteram 15% a mais de gordura na região da barriga do que os participantes tratados com placebo”, explica por e-mail, com exclusividade a SAÚDE!, o médico Jun Nishihira, que conduziu a pesquisa. Ele até revelou sua suspeita: o efeito se deve à cianidina.

A cianidina é um pigmento que tinge a casca de vermelho e, apesar da brancura da polpa, também se faz presente nela, ainda que em quantidades bem menores — mas incrivelmente eficientes na ação sobre as gorduras. “Vale lembrar que não existem alimentos milagrosos para o emagrecimento”, alerta Mirian Martinez, nutricionista do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo, ao ouvir a notícia. “A lichia pode, sim, dar uma força se associada a uma dieta equilibrada e à prática de atividade física para cumprir essa função.” Não adianta se esbaldar com ela e, em seguida, comer um panetone inteiro, por exemplo. Por falar em se esbaldar, Nishihira não determinou ainda a quantidade ideal de frutinhas a ser consumida para perder centímetros na cintura. Então coma à vontade, sem dispensar acompanhamentos saudáveis.

Outro encanto da lichia é ser uma fonte de vitamina C: com apenas seis frutas, você já alcança a recomendação de ingestão diária do nutriente de um jeito doce, doce… “A vitamina estimula o sistema imunológico, aumenta a resistência às infecções, auxilia a cicatrização de feridas, aumenta a absorção do ferro pelo intestino e evita o envelhecimento precoce”, enumera Carla Christimann, nutricionista do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.

Só que, justamente por ser rica em vitamina C, a frutinha exige alguns cuidados. Quando submetida ao calor ou em contato com a luz, a substância se perde. Por isso, deve ser armazenada em locais frescos e escuros e, de preferência, ser consumida in natura.

Já o mineral que aparece em maior abundância no fruto chinês é o potássio. “Ele atua no equilíbrio da água do organismo, ajuda no armazenamento de proteínas musculares, na função renal, na contração do músculo cardíaco e no relaxamento muscular em geral”, diz Solange Saavedra, gerente técnica do Conselho Regional de Nutrição de São Paulo e Mato Grosso do Sul. O potássio também é conhecido por seu poder anticâimbras e, por isso, pode ser consumido em boas doses por quem pratica atividade física.